O Programa de Pós-Graduação em Geografia é formado pelos níveis de Mestrado e Doutorado. O Mestrado foi implantado em 2004 e o Doutorado em 2016. Sendo referência na Pós-Graduação em Geografia na Amazônia, o Programa tem por meta configurar-se no Centro de Excelência em Geografia da Amazônia, com ênfase na análise dos agentes, processos, e conflitos nas diferentes escalas. Este é o objetivo científico e institucional estratégico do curso de mestrado, por meio do qual se amplia inserção social e regional na Panamazônia permitindo-nos estreitar intercâmbios na pesquisa e formação de pesquisadores em temas amazônicos com outros centros afins para este estudo na região.

Desde 2004 o Programa de Pós-graduação em Geografia da UFPA (PPGEO) compõe o quadro da pós-graduação brasileira. Passaram-se treze anos, consubstanciamo-nos em mestrado de referência acadêmica e científica regional. Alguns números da produção acadêmica ressaltam isso, pois são mais de 230 artigos publicados; 29 livros publicados; mais de 220 capítulos de livro; mais de 340 artigos publicados em anais de eventos; 200 resumos em anais; mais de 340 apresentações de trabalho em eventos; mais de 260 trabalhos técnicos; mais de 200 dissertações orientadas; 6 teses orientadas;  4 co-orientações de tese; 283 trabalhos de especialização; mais de 370 trabalhos de conclusão de curso orientados, 114-orientações de Iniciação Científica, dentre outros que ressaltam a magnitude do programa.

Nossos docentes integram entidades científicas tais como Instituto Histórico e Geográfico do Pará (IHGP); Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB); Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Pará (CREA-PA); Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC); Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (ANPUR); Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas.

O corpo docente de 13 (treze) doutores, a estrutura curricular, as disciplinas, os grupos de pesquisa, as dissertações, as atividades acadêmicas e institucionais, as publicações em periódicos, livros e anais, bem como os temas aglutinadores das mesmas refletem um intenso, abrangente e profícuo diálogo com entidades de educação popular, sindicatos, associações representativas de comunidades quilombolas, comitês de bacias, diretorias de unidades de conservação, de reservas e de assentamentos da sociedade brasileira e, em particular, amazônica. Interlocução com os movimentos da sociedade, no sentido proposto por Pierre Bourdieu de participação objetivada, cujos rumos estão entre os pontos de pauta das reuniões do colegiado e dos seminários de planejamento do programa.